Computador portátil
logo 4.png

PORTAL DIGITAL IK3D

I3D.png

T E C N O L O G I A S  D E  I M P R E S S Ã O 3 D

SLA - Stereolithography

O SLA é um processo de manufatura aditiva que foi introduzido e inventado em 1986. Na verdade, o SLA foi a tecnologia usada para fabricar as primeiras peças impressas em 3D. Esta tecnologia utiliza um processo de fotopolimerização em cuba e os materiais usados no SLA são principalmente polímeros termofixos, em estado líquido. Este método de impressão 3D fornece peças com bastante detalhe.
O SLA trabalha com o princípio da fotopolimerização, usando um laser de alta potência que endurece o polímero de acordo com o projeto CAD. A plataforma de impressão é posicionada a uma distância da altura de uma camada da superfície do líquido no tanque de resina de polímero líquido. O laser UV cria a próxima camada curando seletivamente e solidificando a resina do fotopolímero. A área da seção transversal é digitalizada continuamente para garantir que cada camada esteja completamente solidificada antes de passar para a camada seguinte.
Quando uma camada é terminada, a plataforma é movida para uma distância segura e a lâmina de varredura recobre a superfície com a resina. Este processo é repetido várias vezes até que toda a peça seja produzida.
A peça acabada é removida da impressora e lavada em álcool isopropílico para remover o excesso de resina. Se a peça for fabricada com suportes, estes podem ser removidos após a impressão ser concluída. Depois disso, faz-se um pós-processamento adicional passando a peça por luz ultravioleta para obter mais rigidez e propriedades mecânicas e térmicas mais elevadas.

Aplicações
  • Testes de ajuste e tamanho de peças a serem fabricadas noutros materiais.

  • Medicina dentária (fabrico de próteses dentárias)

  • Obtenção de produtos finais (pintura, textura) para testes de mercado

  • Moldes de produção para fins de processamento ou padrões de moldes para fundição a vácuo

IMG_20190311_100450.jpg
DMLS.png

DMLS – Direct Metal Laser Sintering

O Direct Metal Laser Sintering (DMLS) é uma técnica comum de impressão 3D ou fabricação aditiva que também é referida como selective laser melting (SLM).
Neste processo, a peça é fabricada camada a camada por um laser que funde pó metálico em pontos específicos no espaço. Uma vez impressa uma camada, a máquina espalha mais pó sobre a peça e repete o processo. Este processo é ideal para imprimir peças precisas e de alta resolução com geometrias complexas. As máquinas DMLS usam um laser para aquecer o pó metálico até ao seu ponto de fusão, num processo digital que elimina a necessidade de moldes físicos. As peças resultantes são precisas, têm excelente qualidade de superfície e propriedades mecânicas quase como as peças de fundição.

Aplicações

Esta tecnologia pode ser usada, por exemplo, na engenharia aerospacial na construção de injetores e protótipos funcionais, na área da medicina, como o desenvolvimento de dispositivos dentais e material cirúrgico e na área industrial como desenvolvimento de acessórios de fabrico.

FFF – Fuse Filament Fabrication

Embora tenha as suas origens nos anos 80, tendo sido identificada como uma tecnologia de fabrico, a FFF, em ambiente de trabalho, arrancou realmente há pouco mais de 10 anos. Esta tecnologia surge com a queda das patentes, fazendo com que surgissem, assim, projetos como a iniciativa "Open-Source RepRap" que levaram a uma maior inovação e acessibilidade a este tipo de tecnologia. Hoje em dia, a tecnologia FFF, é considerada uma solução de baixo custo em comparação com outros processos de impressão 3D, tanto em termos de investimento inicial como de custos de funcionamento. Esta tecnologia de fabrico aditivo tem-se revelado fiável, precisa e capaz de produzir peças robustas. Graças a este avanço tecnológico, cada vez mais, ao longo dos anos, parte de indústria na área do fabrico está a utilizar esta tecnologia para impulsionar a inovação.

Aplicações
  • Fabrico - A impressão FFF 3D é amplamente utilizada nas indústrias de fabrico. As impressoras 3D têm a capacidade de fabricar peças num curto espaço de tempo maximizando, assim, o tempo de produção e produtividade na linha de produção

  • Prototipagem - Materiais de baixo custo e tempos de impressão curtos tornam a impressão 3D FFF ideal para o processo de design iterativo. Protótipos impressos em 3D podem ser usados para visualizar conceitos ou testar funcionalmente peças técnicas

  • Educação - O hardware FFF acessível e fácil de usar permite uma variedade de aplicações
    educativas – desde envolver estudantes mais jovens com conhecimentos básicos 3D, como
    fornecer laboratórios de produção para estudantes universitários com a finalidade de trabalhar em projetos de engenharia e desenvolver competências para o local de trabalho moderno.

TC17.jpg

MANUFATURA ADITIVA & NORMALIZAÇÃO

ISO 17296 Additive manufacturing — General principles:

— Part 1: Terminology (1)

— Part 2: Overview of process categories, part types and feedstock

— Part 3: Main characteristics and corresponding test methods

— Part 4: Overview of data processing

ISO 27547-1: 2010 Plastics - Preparation of test specimens of thermoplastic materials using mouldless technologies

— Part 1: General principles, and laser sintering of test specimens

 

ISO/ASTM 52900:2015: Additive manufacturing

— General principles — Terminology

ISO/ASTM 52901:2017: Additive manufacturing

— General principles — Requirements for purchased AM parts

 

ISO/ASTM 52910:2018: Additive manufacturing

— Design — Requirements, guidelines and recommendations

 

ISO/ASTM 52915:2016: Specification for Additive Manufacturing File Format (AMF) Version 1.2

 

ISO/ASTM 52921:2013: Standard terminology for additive manufacturing—Coordinate systems and test methodologies